Precursores do Espiritismo

Loading...

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Valorização da própria vida - 3


Objetivo:
Reconhecer as graves conseqüências espirituais do suicídio.

1. Atividade Dinâmica
2. Harmonização Inicial
3. Atividade Introdutória
Contar a seguinte adaptação de um poema inglês, com auxílio do anexo 1:
Uma toupeira arrastava-se pela terra escura dizendo:
– Como a vida é triste! É uma caminhada difícil pela escuridão, um esforço terrível para conseguir alimento e para fugir dos inimigos. E o que é mais triste: depois de tudo, esperar a morte.
Neste mesmo tempo, um pássaro ali voava bem alto e dizia:
– Que belos campos floridos! Que montanhas majestosas! Como é bom poder procurar o alimento! Como é bom ter asas fortes para voar e fugir dos perigos!
A felicidade do pássaro podia ser sentida nos seus cânticos alegres.


4- Atividade Reflexiva
4.1- Conversar sobre as impressões diferentes da toupeira e do pássaro. Cada um tem dificuldades a vencer e a impressão que temos da vida depende, em grande parte, de como a vemos...
4.2- Comparar a visão do pessimista e a do otimista sobre um mesmo fato. Por exemplo:
a) Ao olhar uma rosa:
– Até entre as rosas há espinhos. Que desgraça! – diz o pessimista.
– Até entre os espinhos há rosas. Que beleza! – diz o otimista.
b) Diante dos problemas:
Você vê quantos problemas eu enfrento na vida? (o pessimista)
– Já consegui solução para tantos problemas que conseguirei também para estes. (o otimista)
c) Diante de alguma ajuda recebida:
– Nada disso resolve minhas dificuldades. (o pessimista)
– Qualquer ajuda diminui minhas dificuldades (o otimista)
4.3- Dialogar com o grupo sobre os seguintes fatos:
Ü Os momentos de alegria e tristeza alternam-se durante a vida. Só valorizamos a alegria porque conhecemos o oposto: a tristeza.
Ü Há fases da vida em que os momentos de dificuldades, de doenças graves, de dores morais são muito intensos e a solução não depende de nós. Sentimo-nos como num túnel escuro. Se a pessoa não compreender que tudo passa, se revolta, entra no desespero - a pior das companhias. O que acontece então?
Ü O desespero é como uma bola de neve rolando numa descida íngreme, aumentando, aumentando... As idéias embaralham e, sem paz, não se acha soluções. A angústia vai crescendo e a pessoa pensa que a morte é a única saída. Acolhe, então, a terrível idéia do suicídio, porque pensa que a dor assim acabará. Será verdade?
4.4- Narrar: a filha suicida (adaptação de artigo da revista “Presença Espírita” - BA)
4.5- Questionar, ao final:
- se a morte é mesmo “o nada” ou se os sofrimentos dos suicidas aumentam;
- em que momentos a filha suicida sofreu mais;
- a respeito dos sofrimentos morais e sociais dos familiares;
- se o suicídio é ou não um ato de rebeldia às Leis Divinas.
4.6- Dividir os participantes em subgrupos, de até oito pessoas, pedindo que pensem em, pelo menos, três atitudes ou providências importantes para que as pessoas enfrentem, com coragem, as dificuldades da vida.
4.7- Ouvir os grupos. Se necessário, acrescentar informações para que o grupo entenda que devemos:
Ü Compreender que toda dor ou dificuldade é oportunidade para revermos a vida, nossos erros e acertos e assim amadurecermos.
Ü Ter a certeza de que tudo passa quando mantemos a calma e procuramos, com sensatez, as soluções possíveis.
Ü Manter a confiança em Deus, na Sua amorosa proteção e a certeza de que Ele não dá carga maior do que podemos suportar. Cultivar a oração em autêntica entrega a Deus.
Ü Desenvolver no ambiente familiar um clima permanente de união, de solidariedade, de coragem e esperança, o que contribui para o equilíbrio da mente e forma os valores de respeito à vida.
5- Atividade Criativa
5.1- Escrever, previamente, os versos da quadrinha abaixo em tiras de papel. Misturá-las.
Pedir a um ou mais participantes que ordenem as frases.
5.2- Perguntar se alguém deseja criar uma música para a quadrinha. Em caso afirmativo, ouvi-la.
“Toda a morte que a pessoa/ Não pede, nem abrevia
É a bênção da liberdade/ Na aurora de um novo dia.”
6- Harmonização Final/ Prece
6.1- Terminar com exercícios de relaxamento, na forma habitual.
6.2- Visualizar uma grande luz que desce do alto, sobre sua cabeça... essa luz lhe fortalece... lhe dá imenso bem estar. Você sente uma serena alegria... e uma imensa paz.
6.3- Meditar:
Deus me ama. Deus habita em mim.

Um comentário: