Precursores do Espiritismo

Loading...

quinta-feira, 19 de julho de 2012

TEMA BÁSICO - PACIÊNCIA 2


OBJETIVO:
Reconhecer que a paciência revela paz interior no fiel cumprimento dos deveres.

1. ATIVIDADE DINÂMICA: 
2. HARMONIZAÇÃO INICIAL
3. ATIVIDADE INTRODUTÓRIA
Dar a cada participante um pedaço de barbante, com vários nós superpostos, mas não muito apertados, e pedir que desfaçam os nós. Quando acabarem, perguntar:
– Foi difícil realizar essa atividade?
– O que foi necessário para realizá-la?
4. ATIVIDADE REFLEXIVA
4.1- Introduzir a reflexão, instigando a curiosidade para a história que será contada:
– Vocês acham que com paciência podemos conseguir tudo? Até o que parece impossível?
4.2- Narrar a fábula de Esopo: O LEÃO E O RATINHO
4.3- Promover a reflexão através das perguntas:
– Por que o leão achava que nunca ia precisar do rato?
– O leão teria saído da armadilha sem ajuda do ratinho?– Se o ratinho não tivesse paciência teria conseguido ajudar o leão?– Quais as outras qualidades que o ratinho demonstrou ter?– A boa ação que fez deu alegria ao ratinho?
– E na vida real, o mais forte, o mais poderoso, pode precisar do mais fraco? Você conhece alguma situação em que isso aconteceu?
4.4- Através da exposição dialogada apresentar situações que revelam paciência, como, por exemplo:
– O atleta repete os exercícios de forma disciplinada, paciente e constante até alcançar seu objetivo maior.
– O jardineiro espera, com paciência, a hora de semear, de podar, de regar e de colher.– O aluno precisa estudar as matérias de que gosta e também as de que não gosta.– O cientista passa anos e anos, com paciência, pesquisando em seu laboratório até descobrir a cura de uma doença.– Assim também, com a mesma paciência, trabalham o tecelão, a bordadeira e outros.
4.5- Concluir que:
Ü Todo trabalho para ficar bem feito necessita de dedicação e paciência.
Ü A impaciência gera ansiedade, que desgasta e exaure a pessoa e aqueles com quem convive.
Ü Sem a paz interior não se alcança a paciência. Portanto, é importante primeiro cultivar a paz no coração.
Ü Ter paciência nos ajudará a aproveitar bem o tempo, trabalhando sem desânimo para conseguirmos alcançar o que desejamos.
5- ATIVIDADE CRIATIVA
5.1- Propor a dramatização da fábula. Utilizar as máscaras do leão e do rato. (anexos 1 e 2)
5.2- Caso o grupo tenha maturidade, propor que simule uma entrevista aos personagens da fábula.
Planejá-la:
– Que perguntas o grupo gostaria de fazer ao leão? E ao ratinho?
6- HARMONIZAÇÃO FINAL / PRECE
6.1- Relaxamento na forma habitual.
6.2- Visualizar um bando de andorinhas que sobrevoam um campo cheio de flores. Uma delas busca pequenos galhinhos para terminar o ninho de seus filhotes. Suavemente apanha pequenos gravetos e pacientemente os coloca no ninho... pouco a pouco o ninho vai sendo construído... Você observa esse ninho já pronto... e pensa no quanto você também pode fazer se tiver paciência.
6.3- Meditar:
A cada dia aprendo a ser paciente.

7- AUTO-AVALIAÇÃO

Ilustração O LEÃO E O RATINHO

Anexo 1



Anexo 2



Fig 1



Fig 2



Fig 3



Fig 4



- JOGOS DE DESENHO/ PINTURA




Os participantes, geralmente, apresentam certas inibições nessa atividade. É importante começar com jogos simples (de desenho), onde todos participem. Exemplo: Colocar no centro do círculo uma folha de papel bem grande e canetas hidrográficas. Cada participante pode desenhar o que quiser ou continuar um traço que já estava iniciado. Interrompe-se o desenho e outro continua. São permitidos todos os tipos de linhas possíveis. A atividade deve ser feita em silêncio e, se preferir, com uma música suave, ao fundo. Deve-se estabelecer previamente um tempo para desenhar.
A partir daí outros jogos devem ser introduzidos e ao final de cada atividade recomenda-se uma avaliação para que cada um diga como se sentiu, o que mais ou menos o agradou, como se sente trabalhando sozinho ou em grupo, etc.

1- Arte em partes
Material: uma folha grande de papel dobrada de forma sanfonada e lápis ou canetas hidrocor.
Dobrar o papel de forma sanfonada. Combinar o que irão desenhar. Exemplo: uma casa. Um participante desenha o telhado e dobra o papel de modo que o outro não veja. O seguinte desenha o corpo da casa com janelas e portas; um outro desenha o jardim. O tema pode ser trocado por um animal, especificando-o (elefante, cachorro, passarinho, etc)



Variação: O jogo pode ser desenvolvido sem que os colegas vejam. O disparate provoca riscos.
2- Desenho no ar (individual)
Material: papel e lápis.
Com o braço esticado no ar desenhar círculos e formas ovais. Faça o mesmo com a outra mão. Tente agora fazer com as duas mãos juntas, mas em sentidos opostos. Fazer três exercícios de cada tipo. Este exercício favorece a concentração e trabalha os hemisférios cerebrais.



3- Desafio (individual)
Material: papel e lápis.
Desenhar linhas sinuosas ou quebradas, círculos, flores e formas simples, com as duas mãos ao mesmo tempo do centro para os lados e vice-versa, de cima para baixo e vice-versa, tanto no plano horizontal quanto no vertical. Esta atividade desenvolve a coordenação motora.


4- Gêmeos
Material: uma folha de papel grande, lápis ou caneta hidrocor.

Forrar uma mesa com papel. Colocar uma criança em cada lado da mesa. Com uma caneta hidrográfica em cada mão, cada criança irá desenhar ao mesmo tempo o mesmo desenho, por exemplo: começando com o número 5 como se um espelho repetisse o mesmo desenho. As crianças poderão tocar levemente o colega, mas não esbarrar. Gradativamente os temas dados serão mais trabalhosos.

5- Só uma linha
Material: folhas grandes (uma por grupo), hidrocores.
Os participantes, em grupos, ficarão sentados em círculo, em torno de uma única folha de papel. Cada participante com um hidrocor poderá desenhar apenas uma linha por vez, durante o tempo determinado.
6- Ponto Marcado
Material: número de papéis igual ao número de participantes.
Cada participante recebe papel e lápis. Deverá marcar três pontos bem visíveis na folha. As folhas são trocadas e cada um pode desenhar o que quiser, desde que as linhas passem pelos três pontos marcados na folha. O número de pontos pode variar e o tema do desenho pode ser indicado.


7- Pintura em revesamento
Material: uma folha grande de papel por grupo; canetas e lápis de cor.
Vários grupos são formados. Cada grupo recebe algumas canetas hidrográficas, lápis de cor e uma folha grande de papel. Cada participante desenha enquanto não houver música. Quando a música começar, os participantes deslocam-se em torno do papel. Parando a música, eles param e continuam a desenhar no lugar onde pararam. Ao final criam um título ou uma frase de acordo com o que produziram. Os grupos verificam se há coerência nos títulos ou frases elaboradas.
Variação: Ao tocar a música os grupos mudam de mesa e continuam o desenho do grupo anterior.
8- Pintura grupal
Material: uma faixa de papel comprida (formulário contínuo de computador), tintas e pincéis.
Dividir o papel em áreas de igual tamanho para cada participante. Este escolhe uma área e durante algum tempo poderá pintar o que quiser. Após esse tempo o educador avisa que cada participante tem vizinhos e, a partir daí, é permitido ultrapassar as margens, buscando encadear os diferentes quadros, formando um só quadro.
9- Siga a trilha
Material: uma trilha e duas canetas ou lápis de cores diferentes.
O jogo desenvolve-se em dupla.
Desenhar no papel uma trilha pouco sinuosa, não muito longa com uma pista de um centímetro de largura. Cada jogador, na sua vez, coloca sua caneta ou lápis na linha de largura, de forma perpendicular, segurando somente com um dedo. Faz força sobre o papel para o lápis deslizar e fazer um traçado acompanhando o circuito. Se o lápis cair, a vez será do outro. Cada um recomeça do ponto em que estava. O primeiro que chegar ganha



Ilustrações O PRÍNCIPE IRIEL

Anexo 1


Fig 1


Fig 2


Fig 3


Fig 4


Fig 5

Tema básico - Ação e Reação


OBJETIVO:
Identificar a Lei de Ação e Reação com conseqüências numa mesma existência.

1. ATIVIDADE DINÂMICA
BOLA À CESTA
Material: uma cesta (ou balde) e uma bola.
Dividir os participantes em dois times, que formarão em duas colunas. Um participante de cada time, alternadamente, tentará arremessar a bola na cesta, distante 3 metros da linha de arremesso. Cada um faz duas jogadas, ganhando o time que fizer maior número de pontos.
Pontuação:
1 só arremesso certo - 2 pontos
2 arremessos certos - 5 pontos
2. HARMONIZAÇÃO INICIAL
3. ATIVIDADE INTRODUTÓRIA
Realizar a seguinte atividade, objetivando facilitar o entendimento da Lei de Ação e Reação:
- Colocar sobre a mesa um pedaço de madeira (de preferência macia), pregos grandes e martelo.
- Pedir aos participantes que citem algumas “más ações”.
- A cada ação citada, um participante coloca um prego na madeira.
- No final, alguém retirará os pregos. Levar o grupo a observar as marcas dos pregos na madeira.
4- ATIVIDADE REFLEXIVA
4.1- Perguntar:
– Os pregos deixam marcas na madeira. E as nossas ações onde deixam marcas?
4.2- Narrar: a mesma dor
4.3- Pedir ao grupo que reflita sobre o caso:
– O crime foi descoberto por alguém? – O criminoso conseguiu fugir à Justiça? – Na demonstração que fizemos, o prego deixou uma marca na madeira. E o crime, onde deixou sua marca? (Explicar que a nossa consciência registra todos os atos, bons ou maus, formando “marcas” ou “matrizes”, que provocarão reações ou conseqüências semelhantes).
– Quando desaparecem as “marcas” das más ações? (Quando sofremos e depois reparamos os mesmo erros. Lembrar que sofrer não é suficiente).
– E se morremos antes de reparar os nossos erros? (As “marcas” na consciência nos farão sofrer muito, mas Deus possibilitará a reparação em outra existência).
4.4- Concluir com o seguinte conceito:
Temos o livre-arbítrio (possibilidade de escolher nossas ações) para construir nosso destino, mas colheremos sempre de acordo com a escolha feita.
5. ATIVIDADE CRIATIVA
5.1- Apresentar numa folha de papel a seguinte quadrinha:
Pela Justiça Divina Ninguém recebe favores. Assim quem semeia espinhos, Não poderá colher flores.
(autor desconhecido)
5.2- Pedir ao grupo que comente a quadrinha ou esclareça com exemplos.
5.3- Propor criar uma música para esta letra, individualmente ou em grupo.
5.4- Promover a apresentação. Se possível, fazer um acompanhamento com violão para maior valorização das músicas criadas pelo grupo.
6- HARMONIZAÇÃO FINAL / PRECE
6.1- Propor ao grupo a visualização de uma paisagem repousante e, em seguida, a visualização da luz.
6.2- Encerrar com uma prece solicitando ao Pai a percepção dos erros cometidos, coragem para repará-los, conquistando a paz da consciência.


7- AUTO-AVALIAÇÃO